Prof. Rui Brito, da área de Odonto,

é o novo Diretor de Avaliação do Inep

 

Profa. Maria Celeste Morita, presidente da Abeno, com prof. Rui Brito, atual diretor da Daes/Inep, em reunião em Brasília. Brito é graduado em Odontologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), tem mestrado e doutorado em Biologia e Patologia Bucodental (Unicamp) e foi coordenador do Curso de Odontologia na Faculdade São Leopoldo Mandic.

O novo diretor de Avaliação do Inep é o professor Rui Britto, participante ativo da Abeno e que foi coordenador da 47ª Reunião da entidade, realizada em Campinas em 2012. A professora Maria Celeste Morita, presidente da Abeno, manteve reunião com o novo diretor, em Brasília, em fevereiro, para tratar de pautas de interesse da Odontologia por meio da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno).

Na visita ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram abordados diversos assuntos com destaque para análise do Documento Orientador das Avaliações in loco de Cursos de Graduação específico à Odontologia, que vem sendo atualizado há tempos mas ainda não implantado.

“O atraso desta publicação é decorrente de diversas modificações ocorridas no Documento  Orientador de referência (adotado para avaliações de todos os cursos de graduação, de todas as áreas), com a introdução de novos indicadores que exigiram reformulações e aprovação para que ele fosse concluído e implantado”, destaca Morita.

Durante o encontro com o diretor da Daes/Inep também ficou acertada a conferência que o prof. Rui Brito vai proferir na 52ª Reunião da Abeno a ser realizada em Juiz de Fora (MG), em julho próximo. O tema a ser apresentado será “Enade - Prova 2016 e Perspectivas Futuras”. 

Novos avaliadores – Além deste, foi analisada também a necessidade de expansão do banco de avaliadores in loco do Inep, o que deve acontecer em breve, uma vez que a alteração da Portaria 40, publicada em janeiro deste ano, permite que o processo de Capacitação dos avaliadores seja feito a distância, diminuindo os custos e facilitando sua execução mais rapidamente. Os planos são de colocar de 1.600 a 3 mil novos avaliadores no BASis de todas as áreas de conhecimento até dezembro de 2017.