Prof. Ricardo Ramos Fragelli

Aprendizagem Ativa e Colaborativa para Além do
Conteúdo inclui de Bruce Wills  ao voo da águia

Durante a 52ª Reunião Anual da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno, realizada na Faculdade Suprema - Juiz de Fora), um dos temas discutidos dentro do tema central, Dimensões do Aprendizado na Graduação, pelo prof. Ricardo Ramos Fragelli (ao centro, na foto acima), da Universidade de Brasília, despertou o interesse pela inovação: na Conferência Aprendizagem Ativa e Colaborativa, para Além do Conteúdo, Fragelli convidou os participantes a pensar como se ministrassem uma a disciplina de Cálculo I (de Engenharia), que tem elevados índices de reprovação, e questionou como buscar desde o melhor ao último aluno a motivação a aprender da mesma forma.

Ele citou sua experiência pessoal de professor em IES particular por 10 anos, em que chegou a trabalhar com turmas de 250 alunos que já haviam reprovado e explicou como utilizava a Metodologia “Rei e Rainha da derivada” como incentivo. Descreveu como e porque em suas aulas aconteceu a adesão a esta atividade, que resultou em expressivos índices de recuperação e aprovação das turmas.

Vídeos realizados pelos alunos - Fragelli descreveu os resultados obtidos durante a aplicação da atividade e a introdução de outras metodologias ativas e motivadoras como a produção de vídeos utilizando atores de filmes consagrados como Bruce Wells, que realizavam os questionamentos específicos do conteúdo. Em outro exemplo, mostrou um pequeno vídeo realizado pelos alunos documentando as atividades. “Todos os vídeos são realizados pelos próprios alunos, por isso a qualidade não é muito boa, pois alguns são feitos a partir de seus celulares, mas deve ser reconhecida a importância de cada um na demonstração do engajamento e motivação para a atenção e divulgação”, ressaltou.

Melhores auxiliam os piores – Em sua conferência, apresentou também uma simulação da aplicação da “Metodologia dos 300”, uma estratégia de aprendizagem colaborativa baseada na motivação em que alunos que se saíram melhor na avaliação auxiliam os que não foram tão bem. “Os alunos ajudados melhoram seus rendimentos, posteriormente, os alunos que se saíram bem se tornam melhores ainda, e os que tiveram resultados não tão bons tornaram-se excepcionais”, ressaltou. Para ele, “o caminho mais angustiante é caminhar de mãos dadas com a solidão”.

Fragelli destacou, também, que com essa metodologia há uma melhora de 40% nas notas, mas que o avanço geral é de 100%.  Para o educador, “é imprescindível ter prazer na aprendizagem”.

No Método dos Trezentos todos ajudam e são ajudados aproximando as pessoas e permitindo o desenvolvimento pessoal e integrador e em que não há dificuldades em ser ajudado e ajudar.  Finalizou desejando que todos dominem a ciência com arte, paixão e solidariedade. E encerrou sua apresentação falando de um erro que cometeu durante muito tempo: “As águias não apenas caçam, mas olham de cima a humanidade”. 

A Conferência Aprendizagem Ativa e Colaborativa  para Além do Conteúdo teve a coordenação do prof. Mario Uriarte Neto e relatoria do prof. Gersinei Carlos de Freitas.

 

 

29-08-2017